Song Min Ah

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Song Min Ah

Mensagem por Rainha Morgana em Sex Ago 14, 2015 8:47 pm

Song Min Ah // Minna.


idade
22 anos.


escolaridade
Universitário.


grupo
Cantores e Dançarinos.


aparência física
Minna é dona de curvas bem formadas e estatura esbelta. Sua pele levemente bronzeada contrasta muito bem com o par de olhos castanhos, que ressaltam o rosto da mesma. Seus cabelos são perfeitamente lisos e castanhos, e escorrem alinhados até o fim de suas costelas.
Seus traços delicados dão um ar doce e


personalidade
Minna é uma garota simpática e comunicativa, daquelas que chega a ser capaz de virar a noite conversando e bebendo uma garrafa de coca-cola. Sempre sorrindo, e sempre pronta para ajudar a quem precisa.
Embora seja uma garota realmente encantadora, só quem a conhece sabe que pode ser muito perigoso se aproximar demais de tal. Ou desejar ficar próximo para sempre.
De espírito livre, a garota não consegue se prender a uma situação ou a alguém, e isso já fez com que parentes próximos se magoassem com ela.
Não suporta o tipo de homem que fica em cima, já que não liga muito para essas coisas de amor, ou namoros. Embora tenha consciência de que possui uma aparência chamativa.
Aprecia bons livros, bons vinhos e bons discos. E não recusa nenhum tipo de aventura ou promessa de situação inesperada, não importando se venha a ser um passeio de limusine com teto solar, ou uma descida de skate na ladeira. Ama festas e bebidas, mas nem por isso se torna uma pessoa irresponsável, sabe bem seus limites e os de seus amigos.




tipo sanguíneo
A.


história


Minna nasceu em Busan, como filha de um casal de agricultores simplórios, embora bem sucedidos.
Como filha única, toda a atenção e cuidado sempre fora direcionado a ela, e isso a tornou uma pessoa muito amorosa, até mesmo por seus pais serem assim entre si.
Cresceu como uma criança normal, freqüentou o jardim da infância e o colégio fundamental na cidade onde nascera. Era uma das crianças mais comunicativas da classe, o que fazia com que se destacasse em peças de teatro e recitais de poesia. Embora fosse mesmo uma garota privilegiada e cheia de talentos - que impressionavam e muito as outras pessoas-, seus pais eram muito rígidos quanto a sua criação, sempre davam um jeito de regular os passos da filha. Minna cresceu sem saber o que era dar uma festa do pijama, cresceu sem nunca ter podido ficar até o fim das festas de aniversário de seus coleguinhas. Sua rotina se baseava em estudar, e ler no tempo livre, sem companhias infantis que a permitissem descobrir o que é ser realmente uma criança.
Sua doçura e seu sorriso permaneceram, embora a vida até então não tivesse sido nem um pouco gentil com ela. Aos doze anos, ela sofreu um dos piores traumas de sua vida, seus pais estavam em uma viagem para Seoul - da qual ela felizmente, não pudera participar, pois as épocas de provas se aproximavam, e precisava estudar muito - e sofreram um acidente de carro. A notícia correu rápido pelos quatro cantos do país, havia sido um dos piores nos últimos anos, dois caminhões e seis carros deslizaram juntos de um penhasco, tudo por conta das péssimas condições de estrada, e a chuva intensa que assolava a região durante aquela época. Para uma pré-adolescente, não podia haver notícia pior do que a que Minna recebera naquela época, seus pais foram resgatados dos escombros, mas totalmente inconscientes, e nesse estado, ambos permaneceram durante basicamente metade da vida de Minna. Totalmente em coma, sem nenhuma reação a nem um tipo de tratamento.
A jovem adolescente fora para casa dos tios assim que seus pais foram internados, e ao contrário do que se espera, lá ela não recebeu qualquer tipo de conforto. Na verdade, o inferno em sua vida se iniciara exatamente depois de ter ido morar com os parentes. Sua tia era uma mulher amargurada, totalmente depressiva, e escrava emocional de seu tio. O homem mais repugnante do mundo, daqueles que passam o dia no sofá com uma garrafa de bebida. Como a garota bonita que sempre fora, Minna passou a sentir ainda mais nojo quando o mais velho começara a ordenar à mulher que convencesse a sobrinha a dar ‘’carinho’’ para si. Era nojento ver o modo com o qual ele a encarava, como um pedaço de carne bem melhor do que as que ele comia sentado naquele móvel imundo.
Embora fosse repugnante e sem vergonha, nunca tivera a mínima coragem de encostar sequer um dedo em si, e isso era um alívio para a garota que se contentava em ir da escola para a casa, da casa para a escola, não tinha amigos, e nem parentes nos quais confiasse. Somente uma velha guitarra elétrica que lhe fazia companhia nas noites solitárias que passava em seu quarto. E foi naquela solidão que Minna descobriu sua aptidão com a música, passou a compor, e a tocar, e também a fazer rap, embora não conhecesse muito desse mundo de estrelato, a garota realmente ficava intrigada com a habilidade dos artistas que ouvia no rádio. De sua curiosidade e paixão, o talento foi desabrochando. Até que ela se viu como a artista que era, e tomara a decisão de sair de casa.
Seu tio ao menos tentou convencê-la de ficar, uma boca a menos em casa era bom. A única que pareceu ficar chateada fora a tia, que por mais calada que fosse, passara a considerá-la como uma filha. Não que Minna não estivesse mal por deixar a mais velha, mas a liberdade que teria ao sair dali a atraía e demais, ela descobriu em si mesma uma necessidade grande de se ver solta para fazer o que quisesse.
Como ainda tinha seus meros dezoito anos, seus tios resolveram a emancipar para que pudesse se virar sozinha onde quer que fosse. E seu destino? Seu destino era a capital, cheia de luzes e pessoas, cheia de luxo, e cheia de cultura. Um paraíso maior do que os que ela podia imaginar em sua antiga vida.
A garota começara a tocar em clubes noturnos para conseguir seu sustento e também para enviar algum dinheiro ao hospital onde seus pais estavam. Para ela, não havia sensação melhor do que trabalhar por si mesma, ser independente. Embora não ganhasse muito, na verdade, era quase nada. Minna se esforçava ao máximo para lidar com tudo.
Vendo que não possuía qualquer promessa de futuro, a garota começara a se preocupar, afinal, sabia que não poderia continuar fazendo a mesma coisa até morrer, uma hora ou outra, sua juventude iria acabar, e ela estaria sem rumo.
Foi aí que ela decidiu começar a participar de audições para as empresas de entretenimento. Como garota experiente, não demorou muito para que fosse aceita, na verdade, entrara para a TJ em sua quarta audição.
Com a promessa de que enfim estava fazendo algo de sua vida, a jovem Song Min Ah começara sua trajetória de trainee.
avatar
Mensagens : 31

Data de inscrição : 02/07/2015

http://morgana-atelier.maisforum.com
Rainha Morgana
Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo


Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum